sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Pesquisa questiona se universo é um holograma

Segundo teoria, a informação sobre tudo no nosso universo pode estar codificada em pequenos pacotes de duas dimensões

-
São Paulo - Um grupo de físicos começou um experimento para responder uma pergunta inusitada: seria o universo um holograma? Os pesquisadores são do Fermilab, laboratório especializado em física de partículas de alta energia dos Estados Unidos.
Se você chegar bem perto da tela de uma TV irá ver pixels, pequenos pontos que, quando unidos, fazem a imagem parecer perfeita a partir de uma determinada distância. O cientista Craig Hogan, líder da pesquisa, imagina que as informações do universo podem estar reunidas da mesma forma.
Segundo a teoria de Hogan, a informação sobre tudo no nosso universo pode estar codificada em pequenos pacotes de duas dimensões. Segundo a teoria, o “tamanho do pixel” natural do espaço seria 10 trilhões de trilhões de vezes menor que um átomo.
Por ser menor do que um átomo, o espaço seria quântico e não ficaria parado. Sofreria de flutuações que o fazem vibrar. O experimento, chamado Holometer, tentará medir essas flutuações para tentar descobrir se o universo é um holograma.
Os dados serão coletados no próximo ano. “Queremos descobrir se o espaço-tempo é um sistema quântico assim como a matéria”, disse Hogan em comunicado à imprensa. “Se encontrarmos alguma coisa, as nossas ideias sobre o espaço que temos usado por milhares de anos irão mudar”, afirmou.
Fonte.: Vanessa Daraya, de 
http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/pesquisa-questiona-se-universo-e-um-holograma


sexta-feira, 22 de agosto de 2014

5 Teorias para você acreditar que vive em um Universo Múltiplo

O Universo em que vivemos pode não ser o único – talvez haja infinitos outros exemplares formando o chamado “multiverso”.
E a física está aí para dar suporte teórico a esta ideia, por meio de várias teorias independentes entre si. Aqui está uma lista de cinco teorias científicas bem plausíveis sobre o assunto:
1. Universos infinitos
Os cientistas não têm certeza do formato do espaço-tempo, mas eles concordam que deve ser plano e se estende ao infinito. Mas se ele realmente durar para sempre, então logo ele começará a se repetir, pois há um número limitado de meios com que partículas podem se arranjar neste universo.
Em outras palavras, se você procurar bem no espaço-tempo, você encontrará infinitas versões de si mesmo, sendo que algumas dessas cópias estão fazendo exatamente o que você está fazendo agora. Outras serão diferentes de você: elas podem estar apenas usando uma roupa diferente, ou podem estar morando em outro lugar, seguindo outra carreira, cuidando de outra família.
Como o Universo observável só existe até onde a luz chega – ou seja, a uma distância de 13,7 bilhões de anos-luz, que é a idade do Universo – o espaço-tempo que há além dessa distância pode ser seu próprio universo separado. A ideia é que vários universos existem grudados um no outro em uma gigantesca colcha de retalhos de universos.
2. Universos-bolha
Além dos universos infinitos criados pelo crescimento sem fim do espaço-tempo, outros universos existem de acordo com a teoria da “inflação eterna”. A “inflação” no caso se refere à rápida expansão do universo após o Big Bang, como se fosse um balão. A “inflação eterna”, como proposta por Alexander Vilenkin, cosmólogo da Universidade Tufts, sugere que alguns universos continuam crescendo enquanto outros param, o que criaria vários “universos-bolha” isolados.
No nosso universo, que não mais se expande rapidamente, é como uma pequena bolha em um grande espaço com outras bolhas que podem estar crescendo ou estar paradas como o nosso. Nesses universos, talvez as leias da física sejam diferentes, o que os torna lugares, no mínimo, interessantes.
3. Universos paralelos
Uma ideia recorrente em filmes de ficção, que surgiu da ideia de “mundos brana” – universos paralelos que ficam próximos, mas não encostados uns em relação aos outros. Quem propôs tal teoria foi Paul Steinhardt e Neil Turok, do Instituto Perímetro para Física Teórica da Universidade de Princeton em Ontário, Canadá. Segundo a proposta, muitas outras dimensões, além das três que conhecemos no espaço, existem. Ou seja, além da nossa “brana” tridimensional, outras branas tridimensionais podem existir flutuando em um espaço superiormente dimensional.
O físico Brian Greene, da Universidade da Columbia, explica melhor a ideia em seu livro “The Hidden Reality” (A Realidade Oculta, em tradução livre): “O nosso universo é uma das, talvez, muitas ‘lajes’ flutuando em um espaço superiormente dimensional, como uma fatia de um grande pão cósmico”.
A teoria vai além e sugere que os universos brana nem sempre estão paralelos e fora de alcance um do outro. Alguns podem vir a colidir, gerando novos big bangs e reiniciando-os de novo e de novo.
4. Universos filhos
Esta teoria vem da física quântica e sugere uma outra origem para múltiplos universos. A física quântica enxerga o mundo através de probabilidades e não de resultados definidos, e a matemática da teoria aponta que todos os resultados possíveis ocorrem cada qual em seu universo particular e separado.
Por exemplo, se você precisa fazer uma escolha, como qual roupa usar, qual prato pedir ou qual programa assistir, são criados universos filhos, cada qual para a escolha que você poderia fazer.
Conforme Brian escreveu em seu livro: “E em cada universo, há uma cópia de você testemunhando um ou outro resultado, pensando – incorretamente que a sua realidade é a única realidade".
5. Universos matemáticos
Cientistas ainda debatem se a matemática é uma ferramenta para descobrir novos universos ou um universo próprio, enquanto que nossas observações de universo são percepções inexatas da natureza matemática deles. Se for assim, então a estrutura matemática que compõe o nosso universo não é o único universo possível, e todas as estruturas matemáticas existem em universos separados.
Max Tegmark, do Instituto de Tecnologia do Massachusetts, que propôs esta ideia meio confusa, afirmou que “uma estrutura matemática é algo que você pode descrever de um jeito que é totalmente independente da bagagem humana. Eu realmente acredito que há um universo aí fora que pode existir independentemente de mim e que continuaria existia mesmo que não houvesse humanos”.

VICTOR DE ANDRADE LOPES E OSMAIRO VALVERDE